Além dos Discos a Corrida Pode Proteger o Quadril e o Joelho

Recentemente um estudo publicado em um dos periódicos do grupo Nature gerou bastante repercussão ao mostrar que correr pode fazer bem para os discos intervertebrais, deixando-os maiores e mais hidratados.

Amostra

Pessoas entre 25 e 35 anos de idade sem dor.

79 participantes em 3 grupos:

– inativos (não praticavam esportes ou exercícios nos últimos 5 anos), faziam menos de 150 minutos de atividade moderada por semana e andavam menos de 15 minutos para ou do local trabalho; 😮

– [o que eles chamaram de] “trotadores” (20-40km/ sem) últimos 5 anos;

– corredores de longas (>50km/ sem).

Discos mais hidratados parecem estar mais fortemente associadas com aqueles que andavam rápido ou corriam mais lento, principalmente entre 5,4 e 9 km/ h. Portanto, “acertar” a intensidade parece ser fundamental, assim como o volume. Aqueles que corriam maiores distâncias (mais de 50km por semana) pareceram apresentar benefícios levemente maiores, principalmente no que concerne ao espaço intervertebral. Nas palavras do pessoal da PainScience:

 

 

“Você não precisa ser hardcore para ter esses benefícios!”

 

 

Assim, a corrida teria um papel “protetor” dessas estruturas. O que faz muito sentido por um prisma evolutivo, uma vez que a capacidade de correr longas distâncias é uma característica de extrema relevância na evolução do gênero Homo e a nossa espécie. Temos, portanto, discos lombares que mantém/ melhoram hidratação e conteúdo glicosaminoglicano em decorrência de cargas axiais repetitivas.

Porém os benefícios não param por aí. Uma publicação recente endossa o mesmo raciocínio, só que desta vez em relação ao quadril e ao joelho. Esta revisão sistemática mostrou que corredores recreacionais têm menos chance de desenvolver osteoartrose de joelho e quadril quando comparados a inativos e corredores de competição. Mostrando mais uma vez que não precisa ser hardcore, já que os corredores que competiam não mostraram incidências menores de osteoartrose.

Tudo isso para reforçar aquilo que a gente já sabe: correr também é um movimento natural para a espécie e fazer um movimento para qual o seu corpo foi moldado pela natureza para fazer, pode fazer bem! 🙂

 

Fisioterapeuta ou profissional de Educação Física,

Caso você se interesse por entender melhor a relação entre movimento e evolução humana, a FBA oferece treinamentos que se aprofundam na movimentação funcional-natural humana, ensinando como aplicar esse entendimento na avaliação e na prescrição de movimento. 

Garanta sua vaga inscrevendo-se aqui!

 

Referências

Belavý DL, Quittner MJ, Ridgers N, Ling Y, Connell D, Rantalainen T. Running exercise strengthens the intervertebral disc. Scientific Reports. 2017 Apr;7:45975.

Thicker, juicier spinal discs in slow runners & fast walkers. PainScience. 2017

Alentorn-Geli E, Samuelsson K, Musahl V et al. The Association of Recreational and Competitive Running With Hip and Knee Osteoarthritis: A Systematic Review and Meta-analysis. J Orthop Sports Phys Ther 2017;47(6):373–390. doi:10.2519/jospt.2017.7137

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *